51% dos pets atingiram o sobrepeso com isolamento social

Pesquisa mostra que durante a quarentena animais de estimação ganharam em média 1,2 kg

Com o acesso restrito às ruas e o longo período de isolamento social, alguns pets, entre os mais de 47,9 milhões de cães e gatos existentes atualmente nos lares brasileiros, como apontam dados do IBGE, tiveram mudanças significativas na rotina. Assim como nós, esses animais sofreram com ansiedade e, em muitos casos, ganharam aumento de peso pela falta de exercícios e caminhadas.

Um estudo realizado no Reino Unido pela Dog Friendly – com mais de mil pais e mães de pets -, mostrou que 51% dos pets estão acima do peso ideal. A média de ganho de peso durante a quarentena para cada cão é 1,2Kg. Considerando os tamanhos distintos, em média, as dez raças que mais ganharam peso são: Labrador Retriever, Buldogue Francês, Daschund, Beagle, Pastor Alemão, Cockapoos, Cocker Spaniel, West Highland Terrier, Shih Tzu e Chihuahua.

Para fomentar o cuidado e prevenir futuros danos à saúde dos bichinhos, a coordenadora de conteúdo da Petlove, Jade Petronilho, reforça alguns cuidados essenciais para levar em consideração e prevenir o ganho de peso deles.

Os donos devem acender um sinal de alerta quando sentirem dificuldade de apalpar as costelas e de enxergar com facilidade a cintura do animal. Afrouxar a coleira é um outro ponto de atenção, assim como a forma que o pet caminha, se locomove e respira, explica a especialista. Caso um desses fatores seja identificado, é importante levar o cachorro ou gato a um profissional veterinário, para possíveis exames e para a análise clínica.

Com possíveis doenças descartadas, o veterinário poderá passar dietas ao animal e a aplicação de exercícios, que durante a pandemia podem ser feitos dentro de casa. Jade faz algumas indicações: “Se o pet não tiver restrições de movimento, podemos incluir rampas, túneis, circuitos e outros tipos de objetos”, comenta.

Além disso, para que as atividades sejam mais vigorosas, é indicado que a pessoa aproveite para interagir com o pet neste momento, jogando bola, frisbee, fazendo com que ele procure seus brinquedos favoritos ou um petisco. “Hoje em dia, temos muitos produtos no mercado pet que ao mesmo tempo que o estimulam fisicamente também promovem uma atividade mental e sensorial ao animal, algo fundamental para seu bem-estar”, finaliza Petronilho.

Fonte: canaldopet.ig.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Deseja participar?
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *