Cuidado ao levar seu cão em parques e cachorródromos

Um dos movimentos para cães mais legais na cidade de São Paulo são os parques e praças cercados. Neles, você pode levar seu cão e soltá-lo para que ele possa brincar tranquilo, correr e gastar toda sua energia. Mas a falta de cuidado e atenção dos tutores podem colocar um ponto final nesta diversão.

Semanalmente eu frequento a Praça Ayrton Senna, na região do Paraíso, em São Paulo. Além de levar minha cachorrinha Aurora, costumo levar a Pérola, minha cliente. Também indico o local para diversos casos que atendo. Além de ser uma praça cercada, há um espaço exclusivo para cães. Dividido em pequeno e grande porte.

É muito importante ter espaços como este, para que os cães possam socializar, aprender a linguagem canina, brincar e gastar energia. Este não é o único de São Paulo. Cada vez mais áreas estão sendo revitalizadas para os cães. Com o aumento da população, é natural que seus tutores busquem mais essa alternativa de diversão e passeio.

A grande questão é a falta de atenção e compreensão da linguagem dos cães por parte dos tutores. Além de encontrar diversas fezes pelos espaços, observamos cães “sem donos”. Alguns tutores aproveitam esses espaços para deixar seu peludo e ler, conversar, até dar uma volta no parque, enquanto seu cão se diverte sozinho.

Exatamente nesta hora de desatenção que rola aquele cocozinho e ninguém vê (e nem recolhe). Ou pior, acontece uma confusão ou briga. Se observado desde o início, que algo não está bem, o tutor pode chamar seu cão e evitar qualquer tipo de estranhamento. Mas quando ninguém está olhando, bastam alguns segundos para o caos canino ser instaurado.

Isso acontece devido a diferença de linguagem corporal e falta de socialização dos cães. Quando juntamos muitos cães, não aparentados ou que não se conhecem, em um espaço reduzido, a tendência é disputa por recurso, seja ele bolinha, petisco, território ou a atenção do tutor. Por isso, a indicação é evitar ao máximo levar brinquedos ou petiscos, caso o seu cão não goste de dividir as coisas com estranhos.

 

Dicas para frequentar parques e praças:

Se você nunca frequentou parques para cães, comece aos poucos.

1) Dê preferência por horários alternativos, com pouca pessoas e cães.

2) Evite levar bolinha e petisco, caso seu cão seja possessivo.

3) Fique atento para a linguagem corporal. Se perceber que ele está tenso perante outro cão, desvie a atenção dele. Chame-o e corra para o lado oposto.

4) Se seu cão rosnar, jamais vá até ele ou grite. Isso pode incentivar uma briga. Simplesmente mude a atenção dele e vá para outro espaço.

5) Ao perceber um clima “tenso” com cães pouco sociáveis ou amigos, não hesite em sair do ambiente. Mesmo que tenha acabado de chegar.

6) Em casos de dúvida ou se seu cão for reativo ou medroso, procure um profissional, para fazer a socialização adequadamente.

 

Matéria Original: https://emais.estadao.com.br/blogs/comportamento-animal/cuidado-ao-levar-seu-cao-em-parques-e-cachorrodromos/

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Deseja participar?
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *